Home > Bem Estar > Abaixo os tabus: precisamos falar sobre sexo durante o tratamento do câncer

Abaixo os tabus: precisamos falar sobre sexo durante o tratamento do câncer

Sexo no tratamento de câncer

Pouco explorada, a sexualidade deve ser debatida e estimulada durante quimioterapia, radioterapias e outros tratamentos contra o câncer.

Pessoas com câncer passam por diversos tipos de tratamento. Muitas vezes dolorosos, outras nem tanto. O fato é que durante o processo de quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia, o corpo das mulheres sofre inúmeros efeitos colaterais.

Além da queda de todos os pelos do corpo, ocorre a secura das mucosas – o que dificulta a lubrificação da vagina – e também queda na libido. Alguns medicamentos muito utilizados durante o tratamento de câncer, como o Zoladex, também contribuem com esse quadro.

Outra questão problemática que as mulheres passam é a insegurança com relação ao próprio corpo, principalmente para as mastectomizadas, já que os seios são símbolo de feminilidade da mulher e protagonista da sua sexualidade. Muitas pacientes relatam que nem satisfazer-se sozinha elas sentem vontade. Por tudo isso, este é um assunto tabu e extremamente complexo de se tratar, tanto entre as mulheres quanto com os seus próprios companheiros.

Estar bem com a sexualidade é sinônimo de segurança pessoal, mas este não é um processo fácil, muito menos para as mulheres que sofrem com queda na libido e falta de lubrificação. Porém, há técnicas e produtos que funcionam bem para melhorar este quadro, como é o caso de massagens, lubrificantes e até vibradores. Mas atenção! Mulheres que estão passando pelo tratamento de câncer não podem utilizar produtos que tenham hormônios em sua fórmula, além de que precisam tomar cuidado em dobro com a higiene.

Contudo, há inúmeros benefícios de se estimular a sexualidade durante e depois do tratamento, principalmente como forma de elevar a autoestima da paciente, além de também fortalecer o relacionamento com o parceiro. “É realmente necessário lutar contra esse tabu, começar a tratar o sexo como algo que é possível (e recomendável) de ser praticado durante essa fase da vida. Qualquer repressão e insegurança não são bem-vindas quando ainda há desejo”, explica Flávia Flores.

 

Veja as dicas da palestrante Laura Weiss, no workshop que o QeB promoveu para as Cats na Isla Sensual Boutique:

https://www.quimioterapiaebeleza.com.br/o-sexo-nao-pode-parar/

https://www.flickr.com/photos/quimioterapiaebeleza/albums/72157667167359244/with/27308449690/

“O sexo já é um tabu dentro de muitos relacionamentos sem o agravante de uma doença. Com o tratamento do câncer, isso fica ainda mais complexo. Queremos entender os medos, os anseios das pacientes e explicar o quanto o sexo faz bem, e como elas podem amenizar o problema da lubrificação e da libido”, diz Flávia.

Comentários

comentário

Deixe um comentário