Home > as cats > André Moreno

QUANDO TUDO IA BEM

Já estava em outro emprego, em nova função, pois aquele que eu estava e não quis continuar o tratamento…, lembram? Fui desligado! Um filme passou em minha cabeça, na ocasião, pensei comigo mesmo: “do que adiantou André? Colocar sua saúde em segundo plano! ”

Não que eu pensasse que a empresa tivesse um compromisso comigo, mas que levasse em conta minha dedicação e meu comprometimento. Mas…, contudo, pensei: “somos apenas números”. Continuei a tocar minha vida, sem pensar um só minuto em doença, virei á pagina.

Mas, em abril de 2016, 19 meses depois do primeiro diagnóstico, com fortes dores na virilha, decorrentes de um inchaço que já estava ali há três semanas, fui obrigado a procurar ajuda médica. Na realidade, só procurei porque subindo as escadas fiquei com a pernas travadas, de tão fortes que eram as dores. Ali mesmo permaneci, até que amparado por uma amiga cheguei à sala e dali fui levado à emergência. Chegando, fui atendido por médico plantonista, do qual tirei conclusões precipitadas, como: “esse médico irá me atender, tão novo… não sei não”.

Entrei no consultório, relatei tudo a ele, desde meu primeiro diagnóstico até aquele dia, inclusive que havia anteriormente sido encaminhado a um oncologista, o qual fui, mas não voltei. O mesmo diante do meu relato, para minha surpresa, pediu que eu fizesse um exame de sangue (hemograma especifico), mais um ultrassom e que retornasse ao consultório. 

Após fazer os exames, retornei ao consultório, percebi então uma agitação do médico, o qual pediu para que eu aguardasse ao lado. Depois de 10 minutos o mesmo me chamou, com bastante cuidado, mas direto, me disse: “André seu exame de sangue está ótimo, sem alterações, porém no ultrassom foi constatado cinco nódulos em sua coxa e diante do seu histórico estou lhe encaminhando para fazer uma pulsão, junto estou fazendo uma carta de encaminhamento para você procurar um oncologista.” 

Meu mundo novamente caiu, fiquei zonzo, mas sabia no fundo que aquilo era consequência das minhas “costas” que dei no primeiro diagnóstico. Mas dessa vez, enfrentei, ergui a cabeça e fui fazer a tal pulsão.

Continua…

Para conferir outras partes da história do André, é só clicar nos seguintes links:

Conhecendo a história de André: https://goo.gl/uTm98v

Segundo contato: https://goo.gl/WCrnPw

O primeiro diagnóstico: https://goo.gl/jA9crd

A recusa: https://goo.gl/EURzsd

Comentários

comentário

Deixe um comentário