Home > as cats > Daniele Costa

Querida Flávia e todos os demais que desenvolvem esse lindo trabalho, peço perdão pela demora em um retorno, pois iniciei meu tratamento em Junho e ganhei meus lenços lindíssimos, nessa mesma época. Não sei porque demorei a escrever e enviar meu relato. Mas enfim, aqui está rs…

Tenho 34 anos e nunca imaginei que um dia pudesse me deparar com essa situação, de estar com câncer… mesmo sabendo que qualquer um está sujeito, mas eu me sentia bem, e por relativamente ter hábitos de vida saudável, acreditei que isso jamais pudesse acontecer comigo, ainda mais na minha idade.
Quando recebi a notícia, não fiquei desesperada, apenas segui, cortei os cabelos, fiz micropigmentação nas sobrancelhas, fui atrás de lenços e peruca (que usei duas vezes pq não gostei), não fiquei em casa chorando, apesar de ter chorado várias vezes…
Descobri o nódulo acima do seio esquerdo, pois havia uma mancha roxa, e quando passei a mão senti um caroço, ali já imaginei que poderia ser algo, pois sempre fiz auto exame, por sorte, descobri logo no início.
Foi aí que conversando com os médicos, todos foram categóricos em dizer que uma das causas, talvez a maior, foi minha saúde emocional, ou a falta dela rs.
Eu havia me divorciado, faz 2 anos, depois de um casamento de 4 anos e, apesar de existirem algumas brigas, e coisas com as quais não estávamos satisfeitos, sempre achei que pudéssemos resolver e me surpreendi com o pedido de divórcio. Aquilo me derrubou. Acabou comigo.
Outros problemas vieram e só ficava cada vez mais estressada e nervosa, magoada e triste, e o resultado, bom, foi meu corpo, me trazendo essa batalha, tão cheia de aprendizado.
Confesso que no começo foi difícil lidar com tudo, com as dores, os enjôos, as horas no hospital, e a falta do cabelo, dos cilios, das sobrancelhas…
Sofro de baixa auto estima desde que me conheço por gente, após a separação isso piorou, mas com terapia fui melhorando, porém, quando veio a notícia do câncer, a queda dos cabelos, tudo foi por água abaixo.
Mas quando comecei a ver projetos como esse, blogs, instagram, conversar com mulheres na mesma situação, dividir as angústias, medos, inseguranças, as coisas foram melhorando, comecei a me aceitar e aceitar o momento.
Li uma vez que o câncer é uma doença de células tristes e pude perceber nas sessões de quimio que a maioria da pessoas ali tinham passado por algo doloroso, que estavam magoadas, tristes, sofrendo… ali decidi que nada mais teria o poder de me deixar triste novamente, que eu nunca mais passaria por tudo o que passei, e que eu seria minha prioridade, não mais os outros. Não estou dizendo aqui que pessoas foram culpadas pela minha doença, EU fui culpada, quando não me coloquei em primeiro lugar, quando me permiti ficar estressada e nervosa com coisas que eu não poderia resolver, em querer controlar tudo e ser perfeita e ser aceita. Eu permiti que as coisas me afetassem, sem pensar que um dia, isso poderia explodir.
Faz um mês que finalizei a quimio, farei a cirurgia na próxima semana, simples e tranquila, e depois as rádios.
Mas nesse caminhar, aprendi a ser calma, aprendi que não tenho controle sobre tudo, descobri que sou forte, que família é tudo, descobri os verdadeiros amigos, fiz novos amigos, muitos deles nas salas de quimio ou pessoas que se aproximaram por estar passando o mesmo que eu,e tive muitos momentos de carinho, como foi o dia em que recebi meus lenços, com tanto cuidado e tanto amor, com uma cartinha escrita à mão, que me emocionou.
A batalha ainda não terminou, mas sou vencedora.
E hoje sei que tudo veio para me transformar na mulher que sempre quis ser e que eu mesma impedi de existir, agora, nada mais me impede!
Beijos e muito obrigada!
Gratidão pelo carinho!

Comentários

comentário

Deixe um comentário