Home > Colunistas > Dra. Fabiola La Torre > Devemos manter nosso animalzinho mesmo com imunidade baixa?

Devemos manter nosso animalzinho mesmo com imunidade baixa?

Hoje vamos falar sobre nossos amigos e amores do coração: nossos pets, animais de companhia e, para muitos, os membros peludinhos de nossa família!

Eles são fundamentais para nosso bem estar e até um excelente anti stress e anti depressivo. O olhar deles nos ensinam a doar atenção e amor, além de muitas vezes eles mesmos nos encherem dos seus pelos e lambidas de amor, sem desejar nada em troca. 

Para muitas pessoas, eles fazem parte da família. Inclusive para mim. Eu tenho a minha Lilica repilica, uma shitszu Lhennnnnda que é a primogênita da nossa família. 

Essa é a nossa Lilica.

 

 

E o que fazer com nossos pets quando estamos diante de um diagnóstico de câncer?

A maioria das pessoas com câncer pode e deve manter seus bichinhos, mas é muito importante que as famílias estejam alertas para os riscos em ter e cuidar de um bichinho de estimação. 

Existem muitos tipos diferentes de infecções que podem ser passadas dos animais para os humanos. Mas, podemos seguir algumas orientações simples para reduzir os riscos de contrair infecções de um animal.

Embora seja raro pessoas serem infectadas por seus bichinhos, esse risco aumenta quando: 

  • Você está em Quimioterapia 

  • Você está em radioterapia 

  • Você recebeu um transplante de medula óssea ou células tronco

MAS, NEM PENSE EM ABANDONAR O SEU ANIMALZINHO POR CAUSA DE UM DIAGNÓSTICO DE CÂNCER!!!

Não é necessário se livrar do seu bichinho, a não ser que ele esteja na lista dos animais a serem evitados:

  • animais de rua 

  • Animais de fazenda 

  • Qualquer animal com história de diarreia 

  • Pintinhos e patinhas

  • Répteis 🦎 

  • Anfíbios 

  • Qualquer pássaro, inclusive pombo 

  • Animais selvagens ( evitar contato com animais de zoológico e parques de Safari)

Confiram algumas dicas:

  • Leve o seu pet periodicamente ao Médico Veterinário, para que esteja sempre saudável.

  • Mantenha as vacinas e a vermifugação do seu animalzinho EM DIA!

  • Dê BANHOS periódicos, conforme a necessidade de higiene. Mantendo seu bichinho sempre LIMPINHO! – O ideal é 1 vez ao mês para os que ficam dentro de casa e em contato direto conosco.

  • EVITE beijá-los e evite que eles lambam seu rosto (bochecha, nariz, boca, olhos).

  • EVITE que eles coloquem as patinhas em seu rosto (afinal, é a mesma coisa que deixar alguém colocar os pés, depois de andar o dia todo descalço, em seu rosto.)

  • RESTRINJA o acesso deles em seu QUARTO, sobre sua cama, neste período.

  • Mantenha as GARRAS E UNHAS do seu animal sempre APARADAS, para evitar qualquer lesão em sua pele, como os arranhões.

  • Deixe as caminhas, cobertores e brinquedos do seu animalzinho sempre LIMPOS. Quando necessário troque por novos!

  • Evite contato com urina, fezes, vômito ou

Se os seus animais ficam no quintal:

  • Mantenha o quintal e a casinha dele BEM LIMPAS, HIGIENIZADAS.

  • EVITE o CONTATO EXCESSIVO com os animais que ficam na ÁREA EXTERNA, principalmente, se eles habitam em locais gramados e com terra.

  • Não deixe seu bichinho lamber cortes, machucados ou a sua face.

  • Tente evitar que seu bichinho remexa no lixo.

  • Mantenha seu animal saudável. Um animal saudável é menos suscetível a contrair doenças e passá-las para humanos.

  • Cubra qualquer tipo de caixa  de areia para impedir que os gatos as utilizem como caixa higiênica.

  • Animais como hamsters, porquinhos da India e coelhos, que gostam de roer devem ser mantidos longe do CVC quando acariciados.

  • Não deixe seu gato comer ou pegar camundongos, ratos ou pássaros, pois ele pode pegar toxoplasmose desses. Colocar um sininho no gato fará com que parem de pegar outros animais. Pode ser difícil fazer isso em áreas rurais, mas onde for possível, os bichinhos de estimação devem ser impedidos de pegar outros animais.

  • Mantenha limpa a área da cama do seu bichinho

  •  Mantenha a a caixa higiênica longe da área de refeição e da cozinha

  • Evite colocar a caixa higiênica em lugares quentes, como perto do aquecedor ou fogo, pois o calor faz com que os germes cresçam mais rapidamente.

  • Limpe a caixa higiênica diariamente. Alguns germes (inclusive a toxoplasmose) demoram 24 horas para se tornarem infecciosas.

É muito importante ficarmos atentos a esses cuidados durante o tratamento, pois nossa imunidade varia muito e nós ficamos SUSCEPTÍVEIS À INFECÇÕES E DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS !!!! É fato que o contato com os animais durante o tratamento pode proporcionar muitos benefícios ao paciente como, aumento da imunidade, melhora na autoestima, bem estar emocional, menor nível de stress, etc.

Alimentando seu bichinho:

Use ração industrializada preparada para animais de estimação, de uma lata ou pacote. Não alimente seu bichinho com carnes cruas ou parcialmente cozidas. Carne crua é fonte de muitas doenças, mesmo usando o micro-ondas, a carne pode não  car livre de todos os germes.

Tenha certeza que seu bichinho tem água fresca e limpa, que deve ser trocada ao menos uma vez por dia. Larvas irão crescer na água que não é trocada diariamente.

Camas e caixas higiênicas dos animais de estimação.

O que você deverá fazer se for mordida por um animal:

• Lavar muito bem o local da mordida com sabonete bactericida

• Secar muito bem o local da mordida com gaze

• Cobrir o ferimento com gaze limpa ou um curativo adesivo 

• Informar sua unidade de oncologia, a qual poderá lhe encaminhar para um serviço especializado.

LEMBRE-SE: Se você tem um animal de estimação e ESTÁ EM TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER, FALE COM SEU MÉDICO. 

Agora, minhas lhennndas cais vou deixar uns depoimentos com fotos das minhas amigas do peito com seus animaizinhos. 

Esta é a Michele e seu relato:

– Durante meu tratamento meus filhos de quatro patas foram essenciais. Logo que perdi meus cabelos, eu estava tão triste que o Toddy cheirava a minha cabeça e chotava também.

No período que estava com a imunidade baixa, ficava longe deles e eles sentiam muito. São os melhores parceiros, te amam do jeito que você é, com ou sem cabelos, gorda ou magra. Eles são as criaturas mais fiéis do planeta e creio que todos que estão passando pelo câncer, se tiverem um filho de quatro patas, não se sentirá sozinho nunca. O AMOR CURA.

Esta é a nossa amiga do peoto, Patrícia:

– O Nathan é o nosso filho mais novo. É amor incondicional, verdadeiro, meu tudo. Ele está comigo antes do meu diagnóstico de câncer.

E acredito que ele já sabia, pois cheirava muito a minha mama como se estivesse me avisando. Eu achei muito estranho, pois ele nunca fez isso.

Quando foi confirmado meu diagnóstico , meu filho e meu esposo falaram que era por isso que ele cheirava tanto meu seio. Para me avisar que algo estava errado. Quando fiz a cirurgia ele ia na cama comigo e deitava ao meu lado bem devagar.

Quando a gente chega em casa, ele quer abraço, nos cheirar. Se não dermos oi para ele, fica atrás até ser cumprimentado. Rsrs

O jeito com que ele me olha é maravilhoso, e sinto ser o maior amor do mundo. Eiu não sei viver sem ele. NATHAN É O AMOR DA MINHA VIDA.

Esta é a minha amiga do peito Rosa:

– Essa é a Laila, minha bebezinha. Ela conviveu comigo por 12 anos de muito amor.

Ela teve câncer de mama e infelizmente não tive condições financeiras de realizar sua cirurgia. Então, eu cuidei e tratei dela como pude. Em 30/12/2016, ela me deixou nesse plano terrestre.

 

A Jessica é uma amiga da alma. Ela faz parte do nosso grupo, mas não teve câncer. Graças a Deus.

Mas, ela tem um recadinho para nós:

” Os animais são verdadeiros curadores espirituais. “

Gostaram?

Abaixo segue uma fotinha da minha família lhennda com a dog do meu amigo Carlos da hair look que nos amou no dia de Natal.

 

 

 

Essa é a nossa Lilica maravilhosa.  A Lili teve câncer de mama junto comigo. Foi operada e ficou bem, mas infelizmente seu câncer retornou. Optamos por não fazer quimio pois ela está idosa e é cardiopata. Corremos o risco, mas acreditamos que fizemos o Melhor para ela. 

 

Fontes: https://www.google.com.br/amp/s/sonianiara.com/2015/12/09/convivio-com-animais-durante-o-tratamento-contra-o-cancer/amp/

http://www.boldrini.org.br/wp-content/uploads/2013/09/Criancas-com-cancer-e-bichinhos-de-estimacao.pdf

http://pediatriaemfoco.com.br/posts.php?cod=161&cat=4

Comentários

comentário

Deixe um comentário