Home > Colunistas > Dia do Voluntariado

Oi queridas Cats, hoje quero usar este espaço para dar um depoimento muito sincero e verdadeiro a respeito do Instituto.

Uma coisa é a gente trabalhar como profissional e fazer um trabalho voluntário de atendimento, outra é estar como paciente, ou alguém muito próximo de um, e precisar de ajuda e acolhimento em momentos difíceis da sua vida.

Eu posso relatar essa experiência pois tenho vivido esses dois papéis, e posso dizer que o meu entendimento do que significa “acolher uma pessoa”, aumentou, amplificou, evoluiu para uma compreensão em uma dimensão muito maior!

Estou lidando com uma situação inédita para mim, tendo que ajudar o meu marido, companheiro há mais de 50 anos, a enfrentar um diagnóstico de um câncer grave, que está minando a sua saúde e nos deixa muitas vezes impotentes e sem saber o que fazer…

Procuro usar de toda a minha energia, minha resiliência e minhas crenças de que podemos nos fortalecer para enfrentar as adversidades da doença, mas sei, e vocês também sabem muito bem que não é uma tarefa fácil…

E num desses momentos difíceis, em que parece que tudo está desmoronando ao seu redor, convidei-o para ir ao Instituto comigo no meu dia de voluntariado, conversar com algumas pacientes, e pessoas maravilhosas que frequentam a casa.

Gente, que acolhimento maravilhoso! Fiquei emocionada de ver!

Esse é o verdadeiro sentido do trabalho do Instituto, acolher, dar atenção, dar carinho, trocar informações, mostrar que além da medicina há muito mais a ser feito por uma pessoa! 

Agradeço à Deborah, essa pessoa maravilhosa, incansável na condução do Instituto!

Ela nos recebeu com carinho e atenção, e deu a ele um livro sobre uma pessoa que teve um câncer muito grave e complementou o tratamento com ozonioterapia. Essa leitura foi muito importante para o meu marido, pois mesmo sendo médico e às vezes mais cético em relação a tratamentos alternativos, achou que que pode ser uma boa opção e ficou mais animado. Conversou com as meninas ouviu relatos, e saiu de lá mais leve e mais animado do que entrou.

Esse é o acolhimento que o Instituto proporciona, receber, atender, ouvir, dar carinho e amor e podem ter certeza que pode ser um santo remédio para os nossos males!

Obrigada Deborah querida, obrigada a todas e vamos em frente!

Comentários

comentário

Deixe um comentário