Home > as cats > IZABELLA DE CASTRO GUELFI
Olá, meu nome é Izabella de Castro Guelfi, tenho 24 anos, sou Psicóloga, e no dia 13 de Janeiro de 2017 recebi o diagnóstico de Câncer de Mama, porém a história começou uns anos antes… Aos 21 anos, descobri através do toque um ‘carocinho’ no seio direito, na hora senti medo e pensei na possibilidade de ser câncer, e ao comentar com outras mulheres sempre ouvia que era normal, logo iria desaparecer, que não deveria me preocupar pois não tinha idade, nem filhos, as chances de câncer eram mínimas, e assim, esperei… Um ano se Passou, e como o carocinho não havia desaparecido, fui ao médico, que me tranquilizou dizendo o mesmo que outras pessoas, logo iria desaparecer, e marcou os exames por prevenção. Porém, eu estava em meio a faculdade, tcc, trabalho, dia a dia corrido, eu não queria estar doente, não queria parar a faculdade, não queria descobrir nada que pudesse me atrapalhar, e assim, escolhi acreditar na versão do médico de que não seria nada e logo iria desaparecer, mas a preocupação era constante, eu sabia que deveria realizar os exames, cheguei a ir novamente marcar, porém disseram que a mamografia não era realizada na minha idade. Dois anos se passaram terminei minha faculdade, consegui um bom emprego, e a dúvida continuava a me atormentar, ainda sentia o caroço, do mesmo tamanho, mas ainda estava ali, e comecei a sentir dores, então em maio de 2016 iniciei a luta para conseguir meu diagnóstico, realizei a mamografia, onde não foi constatado o nódulo, após, realizei a ultrassonografia de mama, onde descobri que se tratava de um nódulo sólido, vascularizado, BI-RADS 4A, fui encaminhada para biópsia, o médico me tranquilizou, a possibilidade de câncer era de 3%, dentre os procedimentos, foram seis meses, até conseguir o diagnóstico final, no dia 13 de Janeiro de 2017, Carcinoma Ductal invasivo. O nódulo media menos de 1cm, portanto no mesmo mês, no dia 26, realizei a cirurgia de retirada do nódulo com preservação da mama, e no dia 09 de Fevereiro iniciei a quimioterapia, estou indo para a 3° aplicação, de seis que farei, e depois vem a radioterapia… O cabelo caiu, mas a vida continua linda, eu continuo aqui, e a cada dia tenho uma nova oportunidade de realizar meus sonhos, de semear amor e felicidade, me sinto mais viva do que nunca! Meu objetivo é conscientizar mulheres jovens como eu, que todas devemos nos cuidar e realizar os exames de prevenção, e espalhar a notícia de que a vida continua apesar do câncer, apesar da quimioterapia, que ter cabelo é lindo, e não ter ele, é lindo também, e que é possível ser feliz e descobrir beleza todos os dias, em cada detalhe, em cada oportunidade que a vida nos presenteia, e essa experiência para mim é um presente! Quer ajudar cada vez mais pessoas verem essa fase com positividade e alegria! ❤

Comentários

comentário

Deixe um comentário