Home > as cats > Kassandra Cavalli

Meu nome é Kassandra Cavalli, tenho 36 anos e sou de Curitiba/PR.

Acompanho o site quimioterapia e beleza desde que fui diagnosticada em abril de 2016 e todos os relatos e dicas foram inspiradores e motivacionais. Hoje, indico para todos aqueles que estão passando por essa situação delicada.

O banco de lenços me inspirou e durante meu tratamento, em outubro de 2016 para ser mais exata promovi uma ação entre amigos e familiares com a intenção de arrecadar cinquenta lenços e para minha surpresa foram arrecadados e distribuídos 148 lenços regados a muito carinho e amor ao próximo.

Toda essa situação me trouxe alguns amigos e muito aprendizado. Somos um grão de areia, de fato, mas com fé vamos longe! Conheci pessoas incríveis. Algumas durante meu tratamento partiram, isso me doía na alma! Me encontrei em meio a um turbilhão de sentimentos, emoções, dores e superação.

Meu CA foi de intestino, no sigmoide. Descobri devido a uma intensa hemorragia que me levou a alguns dias de internação na UTI, já saindo de lá com o diagnóstico. Devido a minha idade, na época 34 anos, os médicos se surpreenderam, uma vez que acontece a grande maioria dos casos é em pessoas com idade superior a minha.

Detalhe disto tudo é que desde 2015 meu pai estava em tratamento por conta de um CA de reto. Foram dias difíceis. Fiz a cirurgia para ressecar parte do intestino em maio de 2016. Perdi um pouco de peso,e como sempre fui magra, isso me incomodou um pouco. Fiz outra cirurgia para colocar o cateter. Me recuperei muito bem nas duas situações. Logo voltei ao meu peso normal.

Dia 18/07/16 fiz minha primeira quimioterapia, o protocolo foi de doze sessões. Lembro exatamente da sensação, não imaginava como seria. E a primeira foi uma bomba no meu organismo. As outras foram tendo alguns cuidados, algumas dicas de outros pacientes e um pouco de tudo que eu encontrava na internet. Somente a última sessão (logo a tão esperada) tive que remarcar por conta de baixa imunidade, meus neutrófilos despencaram. Tive queda parcial de cabelos, minha pele manchou um pouco, minhas unhas escamavam, meu dentes ficaram mais sensíveis que o normal e minha pele ficou ressecada.

Por alguns meses não sentia meus dedos das mãos e dos pés, totalmente dormentes. Tinha dias que eu não tinha forças para levantar. Por vezes não sentia gosto de nada, por outras sentia como se minha garganta estivesse revestida internamente de alfinetes. O cansaço era exaustivo. O transito intestinal demorou um pouco para normalizar. Sentia muito sono. Dores nas juntas. E muito frio.

No meio das sessões teve duas que eu não tive nenhum efeito colateral, não sei exatamente como, mas aconteceu. Fui me adaptando e sabia que tudo aquilo iria passar. As sessões eram a cada 15 dias. A última sessão aconteceu em 04/01/17. Aos poucos tudo foi se normalizando, e o que demorou mais a passar foi a fadiga e a dormência nas extremidades.

Não falava por ai que tinha câncer, simplesmente falava que tinha uma lesão e que estava tratando, acreditem que isso deixou tudo mais leve. Durante o tratamento não parei de trabalhar e procurei levar a vida o mais normal possível. Sei que muitos não conseguem devido ao estadiamento e tratamento. Cada caso é um caso e isso deve ser respeitado.

Agora faz um ano sem QT!!! Estou muito feliz. Glória a Deus! Durante um período do meu tratamento lá estava meu pai também em tratamento, os dois se superando a cada dia. Meu pai sempre foi um motivo de orgulho e um exemplo de superação, antes mesmo do CA, pela sua imensa capacidade, “dar a volta por cima”. Nossa família nos deu muito apoio. Contamos com muito cuidado e carinho.

Agradeço primeiramente a Deus pela oportunidade de recomeçar e por ter colocado no meu caminho excelentes médicos, pelos quais eu tenho muita admiração e gratidão. As enfermeiras, os colaboradores dos dois hospitais que me divido até hoje devido ao meu acompanhamento. Agradeço ao meu marido, meu pai, irmãs, sobrinhas e cunhados, que se remanejaram, se reinventaram, compreenderam a situação para que tudo corresse bem, a estrutura familiar durante meu tratamento foi alterada por tempo determinado. Sabíamos que tudo iria dar certo!

Agradeço meus amigos, familiares, minha enteada e a tantas pessoas que nem conheço para falar a verdade. Todo amor foi fundamental. Todo apoio e compreensão da empresa onde eu trabalho foi incrível. Enfim, a toda corrente que se formou de forma tão positiva, uma energia sem igual. Isso foi lindo de viver!

Sim, teve um lado muito bonito nisso tudo que eu jamais vou esquecer: a união entre as pessoas e as crenças. E assim aquela tempestade passou, hoje parece tudo muito surreal, mas aconteceu e superamos juntos! Essa vitória não é apenas minha e sim de um timaço!

Deixo aqui meu depoimento para dizer que embora toda a situação traga dias difíceis, a necessidade de adequação é fundamental, é preciso buscar o equilíbrio emocional, se aproximar de Deus, se entregar aos cuidados Dele. Aprendi a ter paciência, pois de nada adiantaria eu ficar eufórica quando meu corpo precisava de tempo para se revitalizar. Precisei entender que descansar era primordial. Que a alimentação contava muito. O foco principal foi buscar passar bem pelo tratamento, outras questões não menos importantes fui retomando aos poucos.

Aquele ditado que diz que tendo saúde o resto a gente corre atrás é a mais pura verdade. A cada sessão de QT que durava 48 hrs eu aprendia um pouquinho mais sobre eu mesma e sobre a vida. Descobri coisas incríveis que eu amei. Revi alguns valores. Recebi o mais puro amor de cada um. Hoje estou em acompanhamento, acredito que logo retiro o cateter. Para que saibam, meu pai também esta bem depois de dias muito críticos, onde sua vida estava por um fio, ele passou por uma cirurgia em novembro de 2017 e hoje é colostomizado.

O importante é que estamos todos aqui, juntos, desfrutando da vida, com saúde! Mais do que nunca a fé, a gratidão e a união foram indiscutivelmente fundamentais para que hoje eu possa falar a cada um que esta passando por esse momento delicado: vai passar! Escolha viver a vida e não o câncer!

Obrigada,

Kassandra

Comentários

comentário

Deixe um comentário